Day Trading Academy

Uma recuperação econômica na Rússia?

Há vários analistas e alguns investidores que estão insistindo que a Rússia finalmente deu a volta por cima e que o crescimento econômico real vai voltar em breve. Eles apontam para a recente ação do Banco Central russo, que reduziu a taxa básica de juros de 14% para 12,5%. A redução do custo dos empréstimos veio junto com o êxito do governo em leiloar títulos em abril, depois de meses de suspensão. No começo do mês, o chefe do Banco Central havia anunciado que o rublo ficou novamente estável e o presidente russo, Vladimir Putin, afirmou que o pior já passou para a economia interna da Rússia. No entanto, isto é o que os políticos falam. É benéfico para eles que os investidores acreditem que a Rússia chegou a um novo equilíbrio.

Saída de capital da Rússia, em bilhões de dólares americanos

As sanções ocidentais, uma moeda volátil, um impasse militar em curso na Ucrânia, e os menores preços de energia vinham promovendo um rápido declínio no investimento estrangeiro. Na verdade, o dinheiro estava sendo retirado do país em um ritmo alarmante e não apenas por estrangeiros, mas também por russos ricos. Como resultado, tem havido uma interrupção e redução no número de empresas de propriedade estrangeira na Rússia. Isto coincide com a diminuição do número de empresas nacionais também.

Várias empresas estrangeiras estão amargando grandes perdas em suas receitas. Um bom exemplo disso é a indústria automobilística. Teve um tempo em que o mercado russo era visto como uma importante área para crescimento. Agora, a maior parte das empresas do setor automobilístico estão se reduzindo significativamente, ou até mesmo cessando por completo, as suas operações. O declínio do poder aquisitivo e as taxas de juros mais altas reduziram substancialmente as vendas deste importante setor.

Casa de troca de moeda Moscou. A maioria dos bancos na Rússia possuem tabelas de apenas quatro dígitos, enquanto que em dezembro 2014, alguns bancos fixaram taxas cambiais que precisavam de cinco dígitos.

A razão para o intervalo anterior na venda de títulos do governo foi porque não haviam compradores reais da dívida russa disponíveis. Este foi o resultado de muitos investidores abandonando o rublo. Em resposta, o governo foi forçado a pedir para o banco central gastar suas preciosas reservas de moeda estrangeira a fim de manter a economia estável.

O rublo caiu perto de 40% em valor no ano passado devido as sanções impostas em agosto de 2014, que continuaram a machucar a economia russa, e o preço internacional do petróleo, que despencou 50%. O país tornou-se bastante dependente ao longo dos anos dos recursos oriundos da exportação de energia, especialmente petróleo e gás natural, a fim obter moeda estrangeira.

Houve uma pequena recuperação dos preços do petróleo desde o início do ano. Isso tem proporcionado alguma ajuda para a economia da Rússia, mas essa ajuda vai ser limitada. A menos que haja uma interrupção de abastecimento por parte do Oriente Médio, é improvável que o petróleo vá continuar com sua trajetória ascendente na valorização; ainda mais que a Arábia Saudita está produzindo volumes recordes de petróleo bruto. Atualmente esse país é o maior produtor petróleo do mundo, e o que tem o menor custo de produção também. Isto é importante porque estima-se que para cada $10 (Dólar dos Estados Unidos) de queda no preço do petróleo, acontece um corte no PIB russo (Produto Interno Bruto) de 2% como resultado.

Produção russa de óleo bruto (em vermelho) e exportações russas de óleo bruto (preto)

O preço para o petróleo bruto vem aumentando este ano, com relação aos baixos níveis de dezembro de 2014. Isso tem ajudado o rublo a se recuperar, já que o mesmo recuperou cerca de 17% do seu valor. Seu valor agora é de cerca de 50 rublos por dólar americano. Isso permitiu ao Banco Central da Rússia cortar a taxa básica de juros 3 vezes em 2015. Por sua vez, isto permitiu ao governo fazer uma tentativa de lidar com a crise econômica que a Rússia está experimentando atualmente.

O mercado de ações russo se recuperou um pouco e pode ser considerado um dos que tiveram o melhor desempenho durante o ano de 2015, mas isso por causa do quase colapso de poucos meses atrás. O governo central está tendo receitas maiores do que o esperado e ocorreu uma reposição parcial das reservas cambiais. Está estimado que o banco central conseguirá perto de $10 bilhões de dólares. Infelizmente é bem provável que esses novos fundos terão que ser gastos no salvamento de vários setores da economia, que ainda está em recessão.

Óleodutos e gasodutos na europa

No entanto, estes sinais positivos não significam uma recuperação econômica total a longo prazo. O setor de energia acima mencionado e a indústria de mineração estão sofrendo com os baixos preços das commodities e com a falta de investimentos em infraestrutura; isso criou uma crise real na indústria que não poderá ser revertida facilmente. Além disso, tanto a Europa como os Estados Unidos estão proibindo as exportações de tecnologia avançada para exploração e extração, de modo que o crescimento futuro também seja improvável. Isso importa muito se considerarmos que a economia russa é muito dependente da exportação de recursos naturais.

O governo da Rússia gostaria que empresas e corporações do país utilizassem alternativas nacionais. Para ajudar com esta agenda, as empresas agora precisar enviar seus planos para compras de equipamentos. Isto só complicou ainda mais a situação. O objetivo do governo russo de substituir as importações tem se mostrado pouco eficaz até o momento.

Os gigantes energéticos do país estão consideravelmente endividados e irão precisar de ajuda do governo central a fim de permanecerem solventes. Somente a Rosneft, um gigante do petróleo, está à procura de ajuda para lidar com uma dívida que é igual a $42 bilhões de dólares. A Gazprom, uma grande corporação de gás natural, viu as suas receitas caírem 86% entre 2013 e 2014. Esta empresa também vai precisar de uma ajuda do governo. A mesma história está acontecendo com outras duas grandes empresas do setor de energia, a Lukoil e a Novatek.

Produção russa de gás natural (vermelho) e exportações de gás natural (preto)

A história não é muito diferente na indústria da mineração. Muitas empresas do setor também estão indo mal, com quedas das suas receitas e vendas. A Mechel, por exemplo, um grande produtor de carvão, minério de ferro e produtos siderúrgicos acabados, perdeu cerca de 75% do valor dos seus ativos em 2014. Para piorar a situação, a empresa está sobrecarregada com quase $6 bilhões em dívidas, que em breve precisarão ser pagas. Esta empresa emprega mais de 70.000 pessoas, sendo assim, é altamente improvável que o governo vai deixá-la fechar. Então, muitas dessas empresas serão consideradas grandes demais para falir, sob a atual situação econômica.

Empresas estrangeiras de todos os setores na Rússia estão passando por um momento difícil. Uma moeda forte continua a ser um problema para as empresas dos setores de importação e exportação. Estas indústrias também estão sendo afetadas pelas sanções impostas no país, independentemente de serem de propriedade de investidores fora da Rússia.

A população russa está sofrendo com o rápido aumento dos preços, especialmente de alimentos. O crédito ainda está difícil de ser obtido por parte dos cidadãos que desejem fazer um investimento, ou para financiar qualquer coisa. A agitação social continua a ser um perigo, à medida que a situação continua a deteriorar-se. A propaganda política tem um apelo limitado em face da escassez e o aumento dos preços dos produtos de consumo.

Inflação anual na Rússia desde 2008

Parte do problema é a alta taxa de juros para empréstimos em geral. Embora os juros estão atualmente sendo reduzidos, a atual taxa de 12,5%, é ainda muito acima dos 7,5% de apenas um ano atrás. As taxas de aplicação para empréstimos de dinheiro caíram em mais de 30% em muitos mercados e provavelmente não irão se recuperar tão cedo. No final das contas, isso se traduz em uma redução da atividade econômica geral para todo o mercado.

A inflação é um problema cada vez mais preocupante para muitos russos. A queda no valor do rublo e a proibição má planejada por parte do governo de produtos agrícolas ocidentais, não têm apenas elevado cada vez mais os preços, mas também começaram a criar escassez em diversas regiões do país. Agora, a maioria dos russos estão esperando gastar cerca de 50% de seus salários apenas em comida.

Até o final do mês passado, os preços dos alimentos aumentaram em 23,3% com relação ao mesmo período do ano passado. Em janeiro deste ano, a inflação dos preços para o consumidor estava prevista em 15%. Em fevereiro, aumentou para 16,7% e em março, para 16,90%. No ano passado, a inflação manteve-se abaixo de 10%, sendo a única exceção o mês de dezembro, quando ela ficou em 11,4%.

Percentagem anual da taxa de crescimento do PIB da Rússia, 2008-2014

Enquanto isso, o nível de desemprego na Rússia atingiu uma alta que não se via há dois anos e está aumentando. O PIB na Rússia contraiu um adicional de 2% durante o primeiro trimestre de 2015. Isto é resultado de um fraco crescimento econômico durante o ano de 2014, que registrou apenas 0,6%, ficando bem abaixo dos 1,3% registrados em 2013. De acordo com a presente estimativa do Banco da Rússia, a economia doméstica irá contrair cerca de 3,5 a 4% durante o ano de 2015.

A estabilização temporária da moeda na Rússia aliviou um pouco a pressão, por enquanto. O Banco Central russo já não tem mais de gastar enormes somas de dinheiro para impedir que o rublo colapse, como foi o caso há 6 meses. O retorno de alguns investidores internacionais para os mercados de títulos também trouxe um bem-vindo alívio. Todavia, somente com essas duas mudanças a Rússia não irá ver uma recuperação real da sua economia (5ª maior do mundo) neste ano, nem no futuro próximo.

Post a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *