Day Trading Academy

Uma operação da cada vez

Este artigo foi adaptado a partir de um e-mail de resposta que o nosso Master Trader Nikolai enviou a um dos nossos novos operadores.  

A chave para operar (trade) bem é realmente entender e se habituar a um pequeno processo – uma operação de cada vez, cada operação é única.

As emoções tendem a transitar de uma premissa para a próxima (porque somos humanos), mas elas criam uma ilusão de causa-efeito ou de correlação, quando, na realidade, as operações são eventos distintos…

É um fato simples, mas contra-intuitivo para a nossa natureza.

É por isso muitas vezes operar se torna frustrante e acaba fazendo com que você duvide de sua sanidade mental – ela cria uma contradição fundamental em você, entre o que você entende e como você se sente, quando ambos são uma parte de você.

Você tem que criar um paradigma de crenças que irá conciliar esta contradição, ou o medo permanecerá alto (e, portanto, difícil de gerir), o que por sua vez nunca vai lhe deixar ter a autoconfiança necessária para poder conduzir um processo analítico discreto de boa tomada de decisão.

Algumas pessoas se pegam as estatísticas e passam a confiar em números (minha suposição sobre o porquê Jim Steel é tão sólido), já outros preferem se ater ao contexto e ter fé de que o resultado não irá desapontar (minha maneira de lidar com isso).

Todo mundo cria seu próprio paradigma, sua própria maneira de retirar o stress para fora do processo …

Então você me pergunta sobre as estatísticas dos operadores consistentemente bem-sucedidos. Não tenho certeza se você vai gostar minha opinião sobre isso…

A melhora é natural e desejável, no entanto, a realidade é dura sobre o processo de crescimento de um operador (na minha experiência): não existem “bons” operadores, porque não há nenhuma continuidade linear entre perder dinheiro de forma consistente e “roubar” roubar o mercado às cegas…

A estatística é uma curva, onde 98% das pessoas perdem dinheiro de várias maneiras, uns mais rapidamente que outros, e onde os restantes 2% são “grandes” operadores, que fazem dinheiro o tempo todo (e muito – pelo menos cem pontos por mês, você pode fazer a matemática em pontos / contratos) …

Quase não há meio-termo (praticamente não existem “bons” operadores).

A diferença entre um grupo e o outro está na qualidade de suas crenças e, assim, na facilidade com que eles executam as suas ideias …

É uma diferença sutil, mas que ainda assim exige não apenas inúmeras horas de construção de contexto para poder reconhecer padrões intuitivamente (o que leva milhares de horas, e ainda é apenas um pré-requisito, nem mesmo a parte essencial!), mas também uma reforma de seu conjunto de crenças para poder operar (esta é a chave para que a execução ocorra sem esforço, de modo a não elevar as suas emoções a níveis incontroláveis toda vez que for tomar uma decisão).

Para mim, a virada ocorreu quando eu passei a pensar nas operações como um exercício de lógica, uma tentativa de compreender e aperfeiçoar o meu raciocínio dentro de um ambiente incerto, mas lógico… não um exercício de dúvida, esperança, possibilidade, ou de recompensas pelos meus esforços…

Eu perdi dinheiro por tanto tempo e de tantas maneiras que eu me tornei desiludido, quase enojado, com a ingênua idéia de que eu iria ganhar dinheiro simplesmente porque eu queria, ou porque trabalharia duro para isso…

A dor do fracasso contínuo me levou ao ponto de apenas querer que as operações fizessem sentido, que nem fossem lucrativas… e isso acabou por quebrar com o ciclo vicioso de dúvida, esperança, medo, raiva, decepção e luta …

Eu percebo que é um estado estranho, um paradoxo – afinal de contas nós operamos pelo dinheiro, certo? Na verdade, é uma falácia, um estado imperfeito, mas é justo aquele que permite que o processo adequado aconteça e, assim, prepara o cenário para os resultados que buscamos. Este território inexplorado, em relação ao o que eu acredito sobre as operações, transformou os gráficos em quebra-cabeças que sempre tinham uma solução, mesmo quando não fosse facilmente perceptível (assim como todos os problemas de matemática que eu tive que resolver desde a escola primária), e a execução, em um exercício de pressionar as teclas do piano de acordo com as boas práticas (um exercício ao qual eu tinha me habituado ao longo dos mais de 15 anos tocando o instrumento).

Em suma, eu me importava apenas em focar no processo.

Dúvidas com relação ao meu raciocínio, no sistema, na visão de ter uma vida e uma carreira como operador, desapareceram e o que restou foi um equilíbrio dinâmico entre dar uma chance para as minhas observações (realmente assumindo o risco de uma operação) e deixar que a próxima premissa acontecesse, toda vez que eu tivesse me equivocado com uma operação ou outra.

Eu realmente aceitei que estar errado de vez em quando fazia tanto parte do processo quanto estar certo de vez em quando! Os meus níveis de stress caíram enquanto o meu foco e resistência emocional melhoraram. Agora eu podia digerir minhas perdas mais rapidamente e até mesmo usá-las como informações para evoluir a minha hipótese sobre como o mercado funciona.

Meu novo paradigma virou o jogo sobre o ciclo vicioso das operações estressantes e, me colocou em um novo ciclo, onde tanto operações mal sucedidas quanto operações bem sucedidas eram úteis: a primeira, melhorando a minha confiança, enquanto que a outra, melhorando a minha hipótese sobre o mercado.

Eu me acostumei a esta nova maneira de pensar e de operar muito rapidamente, uma vez que os resultados ficaram radicalmente diferentes, de uma forma positiva.

Eu tinha chegado no que eu acredito ser o estado mental ideal para day-trading: curiosidade destacada.

Continue aperfeiçoando suas habilidades técnicas, desafiando-se a cada vez mais com níveis cada vez mais altos de detalhe.

Continue praticando sua resiliência emocional, examinando e ajustando as suas crenças e o seu processo de operação.

Mantenha as coisas simples, trabalhando em um aspecto problemático, ou conceito, de cada vez.

Tenha um ciclo de feedback de qualidade (seus arquivos e seus treinadores) e preste atenção neles, já que você não vai conseguir melhorar o que você não está ciente de ou o que você não está focando.

Nunca seja demasiado crítico com o seu processo e nunca pare de trabalhar nele.

Leia outros ótimos posts do Nikolai no Trading Demons.

Post a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *